Ração e câncer, o que cientificamente podemos afirmar?

A relação entre animais de companhia e seres humanos mudou muito ao longo do tempo. Antes da domesticação, cães viviam em matilha e se alimentavam de grandes caças, enquanto os gatos eram solitários e buscavam pequenas presas. Depois disso, eles se aproximaram dos seres humanos e garantiam segurança e proteção do alimento cultivado em troca de comida.

O tempo passou e essa relação se tornou um pouco mais estreita. Seres humanos passaram a ser donos dos animais e os hábitos alimentares também mudaram. Muitos deles comiam alimentos consumidos pelos humanos, como pedaços pouco nobres de frango (como pescoço) e polenta, o que não é nem um pouco balanceado.

Nos dias de hoje, os animais deixaram de morar na parte externa da casa e passaram a dividir os cômodos e a vida com os seres humanos, sendo até considerados membros da família. A alimentação deles também evoluiu e já sabemos exatamente os nutrientes que eles precisam consumir. A medicina veterinária também acompanhou essa evolução e agora diagnósticos de doenças e seus tratamentos são muito mais frequentes e eficazes. Além disso, com toda essa preocupação e afeto, os animais passaram a viver consideravelmente mais.

E o que isso tem a ver com a relação entre ração e câncer? Tudo! Quando os pets passaram a viver mais, doenças relacionadas ao aumento da expectativa de vida também se tornaram evidentes, como o câncer. Associado a isso, a maior aproximação afetiva com seres humanos aumentou a busca por suporte veterinário, o que contribuiu para que o diagnóstico de tumores fosse colocado em evidência na sociedade. Como a alimentação também mudou muito com o passar do tempo, acabou se tornando a culpada. O fato é que não temos nenhuma comprovação científica de que o alimento industrializado tenha relação com o desenvolvimento de tumores. Por outro lado, existem diversos estudos científicos que comprovaram os benefícios de uma alimentação balanceada e de novos componentes na dieta, assim como acontece com os seres humanos.

Vale lembrar que uma alimentação completa e balanceada é a melhor opção que temos para garantir saúde, bem estar e longevidade desses animais!

 

Autora: Larissa Wünsche Risolia

Junte-se a discussão

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back to top